Relato de sessão: O Disco dos TrêsCapítulo I. Malpetrim, um bom começo.

banner-disco1

Voltando a mestrar TRPG, que alegria! Resolvi narrar a clássica mini-campanha “Saga do Disco dos Três”, (re)apresentada no Só Aventuras Vol.3. Como a aventura é bem simples e clichê – além de conhecida por alguns jogadores – farei diversas modificações para torna-la mais interessante. No entanto, mantenho a premissa básica: uma missão divina para juntar os pedaços de um artefato antigo (o tal disco dos três) para deter o retorno de Sartan, O Deus da Destruição.

A exemplo de outros blogs, começarei a publicar um relato de nossas sessões aqui. Cada sessão será um capítulo da história, espero que curtam a leitura tanto quanto curtimos o jogo!

Talvez você também queira dar uma olhada no artigo sobre Malpetrim e Arton de 1312 RE, para entender melhor o contexto histórico.

Personagens Jogadores (PJs)

SoniaSônia Fúria-Vermelha – Jogador: Frávio.

Humana, Bárbara 4, CN. Uma bárbara das Mts. Uivantes, filha do chefe da tribo dos Presas Uivantes. Está acompanhando o amigo Xhuletus em sua missão divina. Uma máquina de matar enfurecida com sua espada táurica!

DarylDaryl Dixsonn – Jogador: Luquita.

Humano, Ranger 4, LM. Um homem de passado sombrio que trabalha de caçador de recompensas e mercenário. É letal com sua besta de repetição. Está em Malpetrim em busca de serviço.

DonalDonal “Don” Focusys – Jogador: Ziderich.

Humano, Mago 3 /Clérigo [Wynna] 1, NB. Membro de uma das famílias regenciais de Wynlla e estudante da Academia Arcana. Está em Malpetrim em busca de aventuras que lhe deem renome.

Xhuletus2Xhuletus – Jogador: Diogo.

Minotauro, Paladino [Tauron] 4, LB. Um ex-escravo que recebeu a benção de Tauron, tornando-se um guerreiro santo do Deus da Força. Recebeu uma visão de seu deus o mandando para oeste.

FairhornFairhorn – Jogador: Hagaren.

Ceratops, Cruzado [Khalmyr] 4, LB. Criado por um clérigo de Khalmyr, este improvável clérigo foi enviado à Malpetrim para desmontar um esquema de torneios clandestinos conhecido como “Arena das Sombras”.

Relato da 1ª Sessão (05/09/15):

Esta sessão tinha como objetivos apresentam Malpetrim de 1312 RE, fazer os PJs se conhecerem, e se possível, introduzir a missão sagrada que move a campanha.

Ao invés de levar todo grupo direto a missão, optei por deixar o grupo curtir a Grande Feira e ficarem amigos. Ao fim da sessão, Fairhorn (ceratops cruzado de Khalmyr) – que estava investigando um torneio clandestino – é sequestrado por bandidos. Daryl (humano ranger) tenta impedir os bandidos, mas acaba gravemente ferido.

1ª cena: A Grande Feira de Malpetrim

Já havíamos conversado antecipadamente sobre os PJs por Skype, então bastou uma rápida conversa no começo da sessão para acertarmos como seria a introdução dos heróis na aventura.

Começo narrando como o paladino Xhuletus teve uma visão: ele sonhou com um gigante em meio as montanhas, erguendo seu enorme machado em direção ao pôr do sol. Ao virar-se para oeste o minotauro enxerga milhas à frente, vendo uma terra desolada pela peste, guerra e pragas. Interpretando isso como um sinal divino ele se pôs a viajar para oeste, descendo as Mts. Uivantes e parando na cidade portuária de Malpetrim, que é próxima.

Explico então que a colega do paladino – a bárbara Sônia – está contrariada com a direção da viagem, pois ao longo do caminho eles ouviram rumores de uma grande guerra contra os orcs no Reino de Lomatubar (à leste), para onde todos os aventureiros estão indo em busca de glória e fortuna. Os jogadores fazem um breve e divertido diálogo sobre essa questão enquanto chegam à cidade, a química entre eles está ótima!

A dupla descobre que chegaram no 1º dia da Grande Feira de Malpetrim. Logo no portão da cidade são recebidos por um Ruan, um garoto de 11 anos que se oferece para guia-los pela feira em troca de 1 tibar de prata. Eles acabam por se inscrever nos jogos e lutas da Arena, e lá conhecem outros dois PJs: Daryl e Fairhorn. Eles também esbarram com um marujo fortão chamado Thurfus (PdM), que esnoba e provoca-os.

Reforço para os jogadores que embora as pessoas estejam tentando se divertir e descontrair, há um clima de tensão na Grande Feira – além dos esforços de guerra em Lomatubar, há rumores de uma peste a oeste e a colheita está sendo péssima este ano.

Grande-Feira-1312

Grande Feira de Malpetrim

2ª cena: As Docas

Por fim, introduzo o mago Donal na aventura. Ele chegou a Malpetrim de navio, e é cercado por recrutadores nas docas (esses caras sequestram jovens e os forçam a trabalhar nos navios). Xhuletus e Sônia estão de passagem pelas docas e o minotauro intervêm. Intimidados, os recrutadores deixam o mago em paz.

Donal paga um almoço a dupla em agradecimento, e pergunta se não gostariam de formar um grupo com ele para explorar a Mansão de Zolkan, que fica próxima da cidade. Eles dizem que irão pensar.

O ranger Daryl acabou seguindo o grupo e viu a confusão com os recrutadores. Ele estava pensando em comprar um arco para o torneio de arquearia, mas digo que ele nota que um dos recrutadores possui um arco longo. Pegando a deixa, o jogador segue os bandidos até um beco, aponta sua besta para eles e pede o arco, estando em vantagem numérica eles atacam, mas Daryl é mais rápido e enfia virotes no bucho deles. Ele não finaliza os bandidos, mas os deixa sangrando e incapacitados no beco.

Bandido (ND 1/3) – Manual Básico Ed. Rev., pg.245

Nota: eu havia pensado nesse encontro como um possível combate rápido, e me surpreendi como Xhuletus o resolveu pacificamente. Os recrutadores são fracotes e os coloquei como buchas, eles não iam enfrentar aventureiros tão bem armados. Como eu estava curioso para testar as habilidades e caráter do Daryl, dei a ele um gancho para melhor definir seu personagem. Gostei.

3ª cena: investigando sobre a Arena das Sombras

Em algum momento entre a confusão nas docas e o almoço eu foco minha atenção no cruzado Fairhorn. Discutimos que ele não é muito esperto (Int 6), então é difícil ele bolar um plano para chegar ao esquema de torneios clandestinos. Deste modo, o jogador decide que vai tentar extrair informação batendo em alguns caras maus. Ele entra na taverna mais mal-encarada que encontra (“O Caneco Rachado”, na infame “Rua das Bengalinhas”), e pergunta em voz alta para todos ali sobre a “Arena das Sombras”. Obviamente ninguém responde.

Eis então que um halfling ruivo chamado “Ferrugem” chega pra ele e oferece pagar uma bebida. O halfling tenta ludibria-lo para que ele beba a cerveja e confie nele (Fairhorn é abstêmio), mas o cruzado resiste a todos os testes de Enganação e não bebe (apesar de ter falhado em notar que o halfling colocou drogas na bebida). Por fim o halfling desiste e dá a informação de que a “Arena das Sombras” deve ocorrer na 3ª noite da Grande Feira, e fornece instruções ao ceratops de como ele chega lá (muito fácil não? Aí tem truque!).

4ª cena: 1º dia dos jogos na Arena

No dia seguinte o grupo vai disputar os jogos na arena.

Luta livre: informo que Sônia e Xhuletus caíram na mesma chave e terão de se enfrentar logo de cara. A luta-livre é uma disputa de manobra agarrar (vence quem for bem-sucedido em agarrar e manter o agarrão na rodada seguinte ganha). O combate é bem equilibrado, e como estava demorando, peço para que os jogadores façam um único teste disputado de manobra para decidir o vencedor. Xhuletus vence a disputa.

Arquearia: Sônia e Daryl participam. Os participantes devem fazer testes de ataque a distância com o arco, e o resultado define o quão bem acertaram o alvo. Sônia é eliminada logo de cara, tirando um 14 (acerta o círculo interno). Daryl tira 25 no ataque acerta na mosca. Além dele sobram outros dois arqueiros, sendo um deles um elfo sinistro com uma cicatriz no rosto. Os alvos são afastados e temos uma nova rodada, Daryl tira um resultado baixo (uns 11), enquanto o elfo vai bem (22), ganhando o torneio e esnobando da cara do ranger.

Nota: As regras para o torneio de arquearia e disputa de luta-livre foram tiradas do Só Aventuras Vol.1 (aventura “Sob os Céus de Vectora”, pg.7). Eu criei esse elfo cicatriz no improviso para ser um antagonista para o Daryl. Ele irá aparecer novamente em breve, hehe.

Liça: No fim do dia temos uma eliminatória de liça, com 10 participantes. Não é permitido o uso de armaduras e todos usam bastões de madeira que simulam espadas. Os bastões causam 1d8 de dano não letal (crít. x2), e podem ser empunhados com uma ou duas mãos. O objetivo e nocautear os oponentes ou jogá-los para fora da cerca. Os PdMs são todos marujos fortões, incluindo 2 minotauros e um meio-orc.

O jogador Hagaren se arrepende de não ter inscrito Fairhorn aqui, ele pergunta se posso fazer um retcon e eu deixo. A ideia é se divertir, oras!

No 1º turno todos rolam a iniciativa. O PdM Thurfus começa (ele tirou 20) e consegue jogar Sônia (a única mulher na liça) para fora da cerca com uma manobra empurrar. Xhuletus fica puto e mete o pau no marujo (20 de dano na fuça!). A CA de todo mundo está baixa e é muito fácil acertar. Dois marujos tentam empurrar Fairhorn para fora da cerca, mas o ceratops nem se mexe (lembrem-se que criaturas grandes tem +4 em testes de manobra), ele joga os manés pra fora da arena.

O combate continua até sobrarem apenas Fairhorn e Xhuletus, ambos com pouca vida. Começa então uma troca de gentilezas entre os dois guerreiros santos. Por exemplo, Xhuletus cai no chão ao tirar 1, mas Fairhorn não o ataca, mantendo-se na defensiva. Ambos largam as armas e começam a se bater com os punhos, gerando ataques de oportunidade um no outro. Por fim o ceratops ganha a disputa, e os dois ficam amigos. O mago e a bárbara apostaram no minotauro e perderam dinheiro!

Nota: Todos os PdMs da liça usam a ficha abaixo, alternando entre combate com 2 mãos ou 2 armas, mas os minotauros e o meio-orc tem +2 For e -2 Car, e Thurfus tem o talento Grandão no lugar de Foco em Perícia, que lhe concede -1 na CA e +4 de bônus em manobras.

Competidor da Liça: humano, Plebeu 4, N; ND 1; Médio, desl. 9m; PV ; CA 14 (+2 nível, +2 Des); corpo-a-corpo: espada de madeira 2 mãos +6 (1d8+8) ou 2 espadas de madeiras +2/+2 (1d8+5 cada); Fort +5, Ref +4, Von +2; For 17, Des 14, Con 16, Int 8, Sab 12, Car 9.

Perícias e Talentos: Ofício +8; Saque Rápido, Ginga das Ondas, Foco em Perícia, Golpe c/2 mãos OU Combater com 2 armas.

Mapa de Malpetrim 1312 (A Estalagem do Macaco ainda não existia).

Mapa de Malpetrim 1312 (A Estalagem do Macaco ainda não existia).

5ª cena: ataque surpresa!

Termina o 2º dia do festival e todos se retiram para suas estalagens. Don está na estalagem mais cara da cidade (Águia Dourada) e Xhuletus e Sônia estão na modesta Rosa Branca, ambas no centro da cidade. Fairhorn está hospedado no Caneco Rachado (docas), na esperança de conseguir arranjar confusão e pistas. Daryl dorme nas ruas das docas.

Fairhorn é atacado no seu quarto por três encapuzados, foi pego desprevenido e está com apenas 5 de vida após a liça, sendo nocauteado facilmente. Daryl e o menino Ruan observam o ceratops ser retirado da taverna e jogado por 6 homens numa carroça.

Num ato de heroísmo (mentira, ele queria aproveitar-se do ceratops de algum modo!), Daryl ataca os encapuzados, achando que eles seriam uns fracotes como os recrutadores que enfrentara no dia interior. Ledo engano! Além do ranger errar todos os ataques, os caras possuem armas de fogo e um arqueiro excepcional que não erra uma flecha envenenada sob Daryl. Percebendo a burrada que fizera o ranger tenta fugir, mas fracassa, acabando apunhalado e alvejado. Antes de perder a consciência ele vê uma cicatriz no rosto do arqueiro…

Soldado da Irmandade (ND 1) – Valkária, pg. 56. (Troquei a besta pesada por uma pistola, hoje eu usaria uma arma-de-fogo da época: o pistolão).

Elfo Cicatriz (ND 4) – Improvisei aqui, estipulando ataque à distância +10 com arco longo. Pensei num elfo ranger 4 com Des 20 e Foco em Arma, mas posso alterar os stats no futuro.

Pontos de Experiência:

Esta sessão foi basicamente de interpretação com ampla premiação de pontos de ação, então decidi premiar todo o roleplay como um desafio ND6, num total de 1800 XP, que dividido por 5 dá 360 XP para cada um. Na próxima sessão teremos mais oportunidade de XP para todos!

Extras:
  • +150 XP para Xhuletus por resolver encontro com babacas sem luta.
  • +100 XP para Xhuletus e Fairhorn por ganharem disputas na arena.
  • +150 XP para Fairhorn por não ter sido enganado por Ferrugem.
Pontuação total dos PJs:

Xhuletus: 6610 XP – Fairhorn: 6610 XP – Daryl: 6360 XP – Donal: 6360 XP – Sônia: 6360 XP

Comentários finais sobre a sessão:

A sessão foi muito boa. Foi a primeira vez que jogamos de manhã (de 10:00 as 15:00hs) e a maioria dos jogadores se atrasou e alguns ainda tiveram que fazer a ficha. Deste modo o jogo só começou depois de 12hs e só tivemos ~3 horas de jogo. Este horário, no entanto, se mostrou acertado para que possamos jogar com frequência, e vamos mantê-lo.

Apesar do pouco tempo, tivemos 5-6 cenas! O jogo flui veloz quando é focado em interação de personagens/cenário e não há combates elaborados. A química entre os personagens também está legal, especialmente entre Sônia e Xhuletus.

O jogadores precisam aprender a serem mais mão-aberta com seus pontos de ação (PA). Vários terminaram o jogo com 2 ou 3 PA acumulados! Nessa sessão também não consegui dar muitas oportunidades do mago Donal brilhar. Darei atenção especial para ele na próxima sessão.

As imagens usadas neste artigo pertencem à Jambô Editora, Lobo Borges, BlizzardRaph04art Wizards of the Coast. Eu modifiquei o mapa de Malpetrim visto no Manual Básico e disponibilizado no site da Jambô Editora.

2 thoughts on “Relato de sessão: O Disco dos TrêsCapítulo I. Malpetrim, um bom começo.”

  1. Denilson says:

    Ótimo jogo
    Já narrei essa aventura tbm
    Tds os jogadores se divertiram muito
    Vou acompanhar essa sua campanha

  2. Lucas Stalker says:

    Essa aventura é muito boa, estou doido pra jogá-la! Ótimo reporte de sessão, espero por mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: