Liga Independente: a ameaça de Erov Kadall

banner_Liga-Independente

“A vingança é um prato que se come frio.”

– Antigo provérbio de Ahlen.

Após ler O Reinado D20 pela 1ª vez, lembro de ter achado Nova Ghondriann um reino particularmente monótono. Sua maior ameaça era uma taxa de natalidade negativa (fruto de uma maldição da tribo bárbara Lulack-Nóck), e um buraco sem fundo! Seus destaques são uma cidade com esquilos domésticos, sua culinária regional e uma comunidade hippie de Marah…

Mas entre buracos e esquilos havia um detalhe interessante e que ficou esquecido por muito tempo: a política ultra-pacifista do antigo regente causava prejuízos ao reino, que sempre cedia em quaisquer disputas comerciais. Isso desagradava o conselho do reino, que se preparava para tomar o poder. O líder deste conselho era Erov Kadall, ninguém menos que Hiudah Norag disfarçado – um nobre expulso após tentar usurpar o trono de Shivara Sharpblade, e que agora planejava vingança.

Anos depois, as Guerras Táuricas mudam completamente o cenário político do Reinado: Shivara torna-se Rainha-Imperatriz, e Erov Kadall, aquele que ficou esquecido em 2 parágrafos da pág.194 de O Reinado D20, torna-se regente de Nova Ghondriann e declara a independência do reino! E não apenas isso, outros dois reinos pacatos (Callistia e Salistick) fazem o mesmo e unem-se numa nova coalização: A Liga Independente!

Divisão política atual. Os reinos neutros em teoria pertenceriam ao Reinado, acho.

Divisão política atual. Os reinos neutros em teoria pertenceriam ao Reinado, acho.

Formação da Liga – Primeiras consequências

Quais as consequências deste novo arranjo para o cenário nos próximos anos? As possibilidades são muitas.

Em primeiro lugar, Nova Ghondriann está abandonando sua postura pacifista, e uma tendência nacionalista e militarista deve se apossar do reino nos próximos anos, estimulada por Kadall. O novo regente ordenou que todas as tropas em território estrangeiro – em frontes contra a Tormenta e a Aliança Negra – retornassem, e provavelmente irá investir na ampliação e melhoria do exército.

Apesar disso, acho que o nacionalismo deve demorar para se estabelecer devido a índole pacífica da população. A manutenção dos talentos nativos Hospitalidade e Pacifismo em detrimento de Patriota, Bairrista e Intolerância confirmam isso. Vale ressaltar que o culto a Marah – Deusa da Paz – é muito forte no reino e pode ser um obstáculo as ambições do regente. Neste caso, a radicalização de alguns ateus no reino vizinho Sallistick pode vir a ser útil para Erov…

Além do retorno das tropas, o conselho revoltoso do reino tinha outros 2 objetivos em mente: a cobrança de uma taxa pela madeira que lenhadores de Sambúrdia extraíam de Nova Ghondriann sem taxação, e conter os abusos dos mercadores de Fross (capital de Callistia), rivais no comércio fluvial que sabotavam os concorrentes de Crisandir (em Nova Ghondriann). Sabemos que a primeira medida já foi implementada e deve gerar reações negativas por parte de Sambúrdia. Já o problema com Callistia não deve ter sido resolvido, pois ambos agora são aliados na Liga. Provavelmente a atual postura enérgica de Nova Ghondriann vai gerar uma briga mais acirrada entre os comerciantes de Fross e Crisandir, com sabotagens de ambos os lados!

Exceto pelos interesses nefastos de Kadall, os três reinos têm toda razão de se afastar do Reinado, que se mostrou ineficaz a ajudar nos problemas locais destes reinos (como os ataques dos lursh-lyins em Callistia) e que só sabia cobrar mais soldados e impostos. Além disso, são reinos de comerciantes, que tem muito a lucrar com a postura neutra com relação ao Reinado e ao Império de Tauron. O fato de terem ligação com o Rio dos Deuses facilita o comércio com os minotauros.

Erov Kadall (Hiudah Norag): mesmo sem ilustração ele mudou a geopolítica de Arton!

Erov Kadall (Hiudah Norag): mesmo sem ilustração ele mudou a geopolítica de Arton!

As terras férteis, os impostos baixos, os poucos problemas (perto da Tormenta e da Aliança Negra, os lursh-lyns são piada!) e as leis frouxas devem contribuir para a migração de pessoas de outros reinos para a Liga Independente, como já ocorre com o êxodo de habitantes de Trebuck para Nova Ghondriann. Em particular, um êxodo de armeiros de Zakharov – reino que agora também está ameaçado pela Tormenta – pode ter um grande valor militar e estratégico para a Liga.

Nos últimos anos, soubemos através da Gazeta do Reinado que a Liga Independente teria se associado a facção separatista dos anões de Doherimm e que tentou sem sucesso intermediar a venda de armas de fogo desta facção com o distante reino de Tyrondir. Estes fatos indicam que a Liga provavelmente legalizou as armas de fogo em seu território e que começa a fazer movimentos ousados de política externa.

Uma possível expansão?

O "Velho Abutre de Portsmout" sempre se opôs a Deheon, Bielefeld e seus aliados.

O “Velho Abutre de Portsmout” sempre se opôs a Deheon, Bielefeld e seus aliados..

Antes de começarmos a divagar, vamos deixar claro que este texto é apenas um exercício de possibilidades, participem!

Não se deixem enganar pelo espírito livre e independente da Liga. Sua formação é fruto das maquinações políticas de Erov Kadall /Hiudah Norag e nós sabemos quem é o canalha! Ele odeia Shivara Sharpblade e vem trabalhando para prejudicar o reino de Trebuck, estimulando o êxodo para Nova Ghondriann.

Se Kadall /Norag for o gênio político que parece ser, é bem possível que a Liga se expanda nos próximos anos! Talvez este seja seu objetivo: minar as forças do Reinado e da Rainha-Imperatriz até destruí-la e tomar tudo para si.

Num primeiro momento, que reinos poderiam abandonar o Reinado e aderir a Liga Independente?

  • Portsmouth: sempre possuiu uma relação tensa com o Reinado devido ao ódio do regente Ferren Asloth pelo reino de Bielefeld (forte aliado de Deheon). Portsmouth faz fronteira com Nova Ghondriann, e o Conde Asloth está bem infeliz com a derrota política de seu principal aliado político: Mitkov, o antigo rei de Yuden.
  • Hongari: o reino dos halflings sempre foi pacífico e seu maior problema são as taxas abusivas que Portsmouth cobra a seus mercadores, que tem de passar obrigatoriamente por aquele território. Com Portsmouth aderindo a Liga, a adesão de Hongari torna-se possível, seja através de acordos vantajosos ou de coação econômica /militar.
  • Sambúrdia: vende seus produtos agrícolas para todo o continente, sendo controlado por mercadores e fazendeiros. O reino sofreu com a passagem do exército simbionte liderado por Crânio Negro em 1403 e com o ataque do Dragão da Tormenta em 1404-1405. O Reinado já se mostrou ineficaz em proteger o reino, de modo que uma adesão a Liga através de acordo vantajosos é factível.
  • Trebuck: com Sambúrdia aderindo a Liga, o reino de Trebuck ficaria isolado. É provável que Kadall /Norag ainda tenha aliados no reino, que poderiam disseminar a discórdia e promover um golpe de estado, aproveitando-se das ausências de Shivara, que agora passa muito tempo em Deheon e ainda é regente de Yuden. Hiudah Norag poderia retornar triunfante para Trebuck, vitorioso não por meio das armas, mas da política.

Com a adesão destes quatro reinos, a Liga Independente dominaria todo o território leste do antigo Reinado, tornando-se uma coalização razoavelmente forte. No leste há ainda os reinos de Sckarshantallas e Pondsmânia, mas ambos na verdade são neutros, estando na coalizão do Reinado apenas por conveniência, e podendo mudar de lado pelo mesmo motivo.

Já os reinos centrais estão sob forte influência política e econômica de Deheon e Yuden. Eu dificilmente vejo qualquer um deles aderindo a Liga, apesar dos esforços recentes desta em relação a Tyrondir (do qual falaremos em outro artigo, pois este aqui ficou muito grande). No máximo podemos imaginar que com ajuda de Portsmouth a Liga poderia ter certa influência junto à União Púrpura e Ahlen, enquanto Sallistick possui uma grande influência junto com Namalkah. Mesmo que não tenha a adesão destes reinos, esta influência pode ser útil aos planos de Kadall.

É claro que isto tudo é pura especulação. A única coisa é certa é que Kadall usará a Liga para tentar se vingar de Shivara Sharpblade, podendo se transformar numa ameaça maior para a unidade do Reinado que o Império de Tauron.

É curioso pensarmos que sob ameaças gigantescas como a Tormenta e a Aliança Negra – quando todos deveriam se unir – ainda existem pessoas dispostas a causar divisões internas em prol de suas próprias ambições mesquinhas (olhando o mundo real não parece algo tão distante da realidade 🙁 ) Além disso ambas as ameaças citadas não fazem grandes movimentos há cinco anos, e é neste clima de calmaria que o pensamento indolente ganha força, enquanto os alarmistas são taxados de exagerados…

Possível cenário de expansão da Liga Independente

Possível cenário de expansão da Liga Independente. Seria este o plano de Erov Kadall?

Bastidores

Este artigo foi publicado originalmente em 14/10/2010 na AdT 1.0 para a Iniciativa TRPG, cujo tema da quinzena era “Liga Independente”. O texto sofreu alterações e atualizações nesta nova edição, mas permanece praticamente o mesmo.

As imagens usadas neste artigo pertencem a Jambô Editora. O mapa usado é originalmente em preto-e-branco e foi colorido por mim.

7 thoughts on “Liga Independente: a ameaça de Erov Kadall”

  1. Pedro Henrique says:

    Gostei muito do post, Edu. Da pra dar uma viajada e aproveitar como plano de fundo da campanha (ligado diretamente ou não as aventuras dos PJs). Já pensou em fazer mais posts nesse estilo?

    abç

    1. Edu Guimarães says:

      Valeu Pedro, tem outro post neste estilo saindo do forno (que na verdade é uma continuação deste). Se tiver sugestões, só falar!

  2. sandrowmf says:

    mais só eu acho q com toda essa guerra civil e mudança de Território o reino de Sckarshantallas naun possa fazer nada? um rei dragão sempre q mais território .

    1. Edu Guimarães says:

      De fato, Sckhar foi apontado como uma das "grandes ameaças" do cenário na introdução do Manual Básico e no suplemento O Mundo de Arton. A criação dos androdracos e dos dragões bestiais pode significar o surgimento de um exército para invasões, se for verdade, pobre Trebuck…

      No entanto, temos que lembrar que Skchar tem uma ameaça com q se preocupar: seu pai Kallyadranoch e o sumo-sacerdote deste, Edauros, que adoraria tomar aquele reino para si.

  3. Born de Sanguinárias says:

    Huehuehue! Erov Kadall ganhou um inimigo perigoso: Born das Sanguinárias, meu personagem anarquista! Jurei riscar Ahlen do mapa, e se Kadall é um político manipulador, ele e a Liga vão virar jantar! MUAHAHAHAHA!!!!

  4. Yuri Matos says:

    alguem aqui ainda joga 3d&t com o antigo sistema de rolagem ?

  5. Cícero Leandro Jr says:

    Kadall vai ser o grande vilão da campanha que estou narrando atualmente. Meu plano, a princípio, é que Kadall tente criar um reino unido entre os países da Liga Independente, sendo ele o governante. O artigo serviu pra clarear as intenções dele. Parabéns, Edu!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: