Arsenal: Redes e Tridentes

Originalmente ferramentas de pescadores, as redes e tridentes foram adaptadas para uso militar, especialmente pelos elfos-do-mar e outros povos aquáticos, que usam-nas em suas caças submarinas.

No mundo seco estas armas ganharam destaque com gladiadores especializados que simulam a pesca e caça de monstros e adversários, para entretenimento das multidões. O tridente é também a arma sagrada de Oceano, Deus dos Mares, e por isso usada por muitos de seus devotos.

Redes costumam serem lançadas com a mão inábil (enquanto a mão hábil carrega uma arma). Com o alvo enredado, é mais fácil golpeá-lo com o tridente (ou outra arma), enquanto segura-se a corda da rede com a mão inábil para manter o alvo próximo. Se o ataque com a rede errar, pode-se puxá-la de volta pela corda com uma ação de movimento.

Já o tridente é muito utilizado para derrubar adversários. Por ser uma arma de uma mão, não é incomum usarem-no em conjunto com escudos ou lâminas leves (que podem ser usadas para golpear o alvo depois de derrubado pelo tridente).

Segue abaixo uma série de opções para estas duas armas, incluindo armas variantes, um novo estilo de combate para rangers e swashbucklers, e fechando com dois novos talentos.

Novas Armas

Armas Exóticas Preço Dano Crítico Distância Peso Tipo
Corpo-a-Corpo – Uma Mão
Tridente Serrilhado 15 TO 1d8 x2 2kg Perfuração
Tridente Longo 20 TO 1d10 x2 3kg Perfuração
Ataque à Distância
Mosquete Lança-Redes 600 TO 15m 7kg
      Munição (1) 10 TO 0,5 kg
Rede Especial veja descrição 3m 250g
Tarrafão 50 TO 3m 0,5kg

Mosquete Lança-redes: uma arma de fogo desenhada para disparar redes. Funciona de forma semelhante ao ataque de rede (TRPG, pg.135), mas você recebe +5 de bônus no ataque de toque à distância. Para manuseá-lo, é necessário saber usar um mosquete (arma exótica). A rede lançada possui uma corda de 18m ligando-a ao mosquete, permitindo o usuário controlar os inimigos presos.

Recarregar o lança-redes exige uma ação completa (além de soltar a corda da rede anteriormente lançada). Embrulhar uma rede para se disparada novamente exige treinamento em ofício (redes, engenhocas ou outro que o mestre achar apropriado) e 30 minutos de trabalho.

Rede Especial: existem diversas variedades de rede obra-prima feitas com diferentes materiais especiais. É possível combinar diferentes materiais especiais, somando seus custos adicionais ao preço de uma rede obra-prima (320 TO).

  • Teia: feitas com seda produzida por aranhas-gigantes ou de certos insetos atrozes de galrasia. Estas redes possuem uma maior aderência e resistência, exigindo duas ações completas para ser removida e um teste de Acrobacia CD 25 (feito durante a segunda ação completa). Possuem RD2 e 15 PV. Custo adicional: +80 TO.
  • Aço: feitas com grossos cabos de aço e produzidas apenas por um punhado de especialista. São redes de tamanho grande ou maior, com RD 10, 30 PV e pesando 25kg (+30 PV e dobrando o peso para cada categoria de tamanho superior a grande). Usadas contra gigantes, dragões e outros monstros maiores. Custo adicional: +500 TO para redes grandes, +1.000 TO para enormes, +2.000 TO para descomunais, +4.000 TO para colossais.
  • Farpada: redes com farpas metálicas em sua malha. Estas redes causam 1d4 de dano todo turno em que a vítima enredada se mexer. Pesam 0,5kg. Custo adicional: +80 TO.
  • Constritora: possui um engenhoso mecanismo de cordas que permite apertar a rede sob a vítima com uma ação de movimento. Enquanto você estiver segurando a corda, a vítima não pode escapar com testes de Acrobacia, apenas rompendo a rede. Custo adicional: +300 TO.
  • Mitral: redes leves produzidas com resistentes e finos fios de mitral, apenas meia-dúzia de mestres ferreiros anões sabe fabricá-la. Estas redes contam como uma categoria de tamanho inferior. Possui RD 15 e pesam 0,5kg. Custo adicional: +1.000 TO.
  • Matéria Vermelha: estas redes devoram seus alvos, causando 1d4 de dano às vítimas enredadas (exceto lefeu), no começo do turno do atacante. Além disso, parecem possuir vida própria, agarrando-se a vítima, que não poderá escapar com uma ação completa, apenas rompendo a rede ou com testes de Acrobacia, CD 30. O usuário recebe 1 de dano sempre que arremessá-la. Possuem RD 5, 15 PV, e pesam 0,5kg. Custo adicional: +1.000 TO.

Tarrafão: o tarrafão é uma rede maior, própria para enredar criaturas até duas categorias de tamanho acima da sua (veja “Rede” em TRPG, pg.135). É uma arma exótica e exige as duas mãos para ser manuseada de forma apropriada.

Tridente Serrilhado: variedade do tridente utilizada por pescadores e caçadores submarinos, com dentes que se prendem a presa. Permite o usuário fazer um teste automático de agarrar se acertar o alvo. Se bem sucedido, o tridente fica preso no alvo, que está agarrado. Esta é uma arma exótica.

Arrancar o tridente requer 1 ação de movimento e causa 1d4 de dano na vítima. Uma vítima que se liberte da manobra agarrar, arranca o tridente automaticamente (recebendo 1d4 de dano).

Tridente Longo: versão do tridente com cabo e dentes mais longos. É uma arma de haste e concede +4 de bônus em manobras de desarmar. É uma arma muito grande para ser usada com uma mão só sem treinamento especial: por isso é uma arma exótica. Ela pode ser usada como uma arma marcial de duas mãos.

Regra Opcional: Enredar Múltiplas Criaturas

Você pode usar a rede para enredar diversos alvos de até três categorias de tamanho inferior à rede, desde que eles estejam adjacentes entre si. Assim, uma rede grande (ou um tarrafão) pode enredar 2 criaturas médias, 4 criaturas pequenas ou 8 diminutas (criaturas menores conseguem passar pela trama da rede).

A regra utilizada é semelhante à encontrada na descrição da rede (TRPG, pg.135), mas você faz um único ataque de toque a distância contra as diversas criaturas (que devem ser bem sucedidas num teste de Reflexos para escapar).

Loriane, a Estrela. Perita no uso da rede.

Loriane, a Estrela. Gladiadora perita no uso da rede e do tridente

Novas Opções para Classes

Estilo de Combate: Rede

Disponível para classes ranger e swashbuckler.

Originalmente usada na caça e na pesca. As redes restringem o movimento dos alvos facilitando sua captura ou extermínio. Este estilo é popular entre gladiadores, devotos de Oceano, e membros de raças aquáticas.

Estilo de Combate: no 2º nível, recebe o talento Usar Arma Exótica (Rede).

Estilo de Combate Aprimorado: no 6º nível, recebe o talento Rede de Arraste*.

Domínio em Estilo de Combate: no 11º nível, recebe o talento Rede Superior*.

* Talentos descritos neste artigo.

Novos Talentos

Rede de Arraste

Você pode derrubar e arrastar à distância alvos enredados.

Pré-requisito: Usar Arma Exótica (rede), bônus base de ataque +6.

Benefício: Você pode realizar à distância uma manobra de derrubar contra um alvo enredado, desde que esteja segurando a corda da rede. Uma vez derrubada, você pode arrastar a criatura e mantê-la no chão como se a estivesse agarrando. Para se levantar, a vítima deve ser bem sucedida num teste de manobra oposto, ou num teste de Acrobacia (CD 20).

Rede Superior

Sua técnica com a rede é tamanha, que é quase impossível escapar de seus ataques com ela.

Pré-requisito: Foco em Arma (rede), Rede de Arraste, Usar Arma Exótica (rede), bônus base de ataque +11.

Benefício: Você recebe -4 de penalidade no seu ataque de rede. Se acertar o ataque, o alvo fica indefeso, se falhar no ataque, o alvo fica enredado.

Especial: Alvos com a habilidade Evasão e Evasão Aprimorada não ficam enredados se o ataque falhar. Além disso, alvos com a habilidade Evasão Aprimorada não ficam indefesos se o ataque acertar, apenas enredados.

Tridentes e redes nas arenas

Gladiadores especializados em redes e tridentes são conhecidos como retiarius (“usuários de rede” em táurico) no Império de Tauron, ou net-fighters em diversas regiões do Reinado. Loriane, a Estrela da Arena Imperial, é famosa por seu domínio neste estilo.

Diferente dos gladiadores que simulam soldados e cavaleiros, os retiarius não costumam usar escudos, e usam pouca ou nenhuma armadura para simular pescadores e caçadores (e expor seus corpos para a multidão). Isso lhes dá maior mobilidade na arena, enquanto seus rivais usam proteção pesada e elmos sufocantes que restringem a visão. Além da rede e do tridente, estes gladiadores também contam com um gládio ou espada curta (usada para o golpe final ou como último recurso).

Bastidores

Na vida real parece ser bem difícil manusear e lançar a rede com a mão inábil, de modo que os gladiadores romanos mantinham a rede na mão hábil, enquanto seguravam o tridente com a inábil, apenas para tentar manter os inimigos à distância. Após o lançamento da rede, era comum soltá-la e golpear o adversário com as duas mãos, muitas vezes para derrubá-lo. Uma vez enredado, derrubado e ferido, o golpe final costumava ser aplicado com uma lâmina curta.

No entanto, optei por deixar a rede na mão inábil, não apenas por motivos práticos e mecânicos, mas também pelas cenas da série Spartacus, onde o protagonista usa a rede na mão inábil (segundo o Quaresma e o vídeo que assisti).

Agradecimentos ao Rodrigo Quaresma pela revisão e opiniões.

As ilustrações utilizadas neste artigo pertencem a Jambô Editora e a Wizards of the Coast.

8 thoughts on “Arsenal: Redes e Tridentes”

  1. Khrjstjano says:

    Muito boa a matéria, mas tenho uma dúvida.

    Constritora: possui um fino mecanismo de cordas que permite apertar a rede sob a vítima. Enquanto estiver com a corda da rede em suas mãos, a vítima não poderá escapar com uma ação completa, apenas rompendo a rede ou com testes de Acrobacia, CD 30. Custo adicional: +300 TO.
    e não um ou outro.

    Quando você diz "a vítima não poderá escapar com uma ação completa" está se referindo ao teste de acrobacia CD 20 que é uma ação completa, previsto na regra básica?

  2. Bruno Carvalho says:

    redes… Agora ficou interessante usar uma.

  3. Pedro Henrique says:

    Muito bom o post Edu, deu até vontade de jogar com redes xD
    Eu só achei o tridente serrilhado meio inutil, não é uma arma tão ruim no começo, mas deve bater uma tristeza ver que o 1d4 de dano não faz mais tanto estrago =/
    Abraços

  4. Edu Guimarães says:

    Falha minha no entendimento das regras. Simplesmente não se pode escapar da rede constritora, apenas rompendo-a. Já corrigi a descrição. Valeu! xD

  5. Edu Guimarães says:

    Valeu Pedro! Mas engano seu quanto ao tridente serrilhado! Seu principal apelo não é o 1d4 de dano extra, mas permitir uma manobra agarrar AUTOMÁTICA se acertar o alvo. É uma arma própria para imobilização de presas.

  6. Khrjstjano says:

    Ah, legal. Ficou melhor assim. Vou incluir estes itens em campanha assim que for possível. =)

  7. Jairo Orozco says:

    Opa boa tarde a todos, fico feliz de ver que o blog voltou a ativa, deve confessar que não são muitos os blogs que tenham material que possa ser usado em jogo, muitos ficam em falta no quesito "equilíbrio", bom em relação ao post, ficou ÓTIMO, um dos meus players joga com uma Elfa-do-mar ranger que usa de tridente e redes em suas lutas, ou seja, meu jogador só faltou dar piruetas de alegria XD, parabéns pelo excelente material, e muito obrigado por disponibiliza-lo Edu.

  8. Wagner says:

    Não tenho jogado Tormenta há bastante tempo, mas lembro-me que me divertia bastante com o cenário. Tenho o Tormenta RPG embora nunca tenha mestrado para meu grupo. Infelizmente eles não gostam muito.

    Ótima matéria com ótima dicas para mestre e jogadores usarem regras além das quais estamos acostumados….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: